EletroPixinguinha XXI
Rob Digital


Baixe grátis o quicktime player.

 

Nos últimos anos da década de 1920 e nos primeiros da de 30, Pixinguinha realizou experiências tremendamente originais, visando a criação de uma orquestra típica brasileira. A mistura continha Choro, samba e música afro-brasileira; combinados com o toque genial do mestre e a intenção da dança. Pelos mais variados motivos, inclusive a ascensão do samba como gênero nacional, essa parcela da obra de Pixinguinha ficou praticamente esquecida.

Desde 1995, Henrique Cazes e o tecladista e arranjador Fernando Moura pesquisam a recriação dessa musicalidade, utilizando a tecnologia dos samplers, sintetizadores, baterias eletrônicas, somada com a percussão de Beto Cazes. Cabe ressaltar que quando se fala em sampler aqui, isso inclui material retirado de gravações dos anos 1930 e 40, além de material gravado especialmente, para ser reprocessado e sampleado.

O repertório de EletroPixinguinha XXI traz músicas geniais que nunca foram regravadas como “Dança dos ursos”, “Conversa de crioulo”, “Levanta meu nego” e “Concerto de baterias”. Tem ainda recriações de sucessos cantados de Pixinguinha como “Patrão prenda seu gado” e “Já te digo”, com as participações vocais de Pedro Miranda e Teresa Cristina, dois grandes talentos da novíssima geração do samba. A Orquestra Pixinguinha dirigida por Henrique Cazes, comparece em remix de “Yaô”.

O resultado de tão original combinação pretende provar na prática as previsões do “pixingólogo” Sergio Cabral: “o século XX foi apenas o primeiro da consagração de Pixinguinha. Ele crescerá mais ainda nos séculos que virão”.